ensαios de umα αprendiz α jornαlistα

Jornalismo Multifacetado

por Anna Carolina Cardoso Pinheiro

 

Livros, jornais, tv, internet… As muitas faces do jornalismo foram apresentadas aos alunos na mesa redonda realizada no primeiro dia da Semana de Jornalismo

 

Jornalistas que trazem em seus currículos apenas importantes veículos de comunicação. Assim é formado o corpo docente do curso de jornalismo multimídia, ministrado pelas Faculdades de Campinas – Facamp. Em sua quarta edição, a Semana de Jornalismo deste ano, realizada entre 12 e 14 de maio, tinha por objetivo “valorizar a prata da casa”, de acordo com o coordenador do curso, Carlos Drummond.

No primeiro dia, “O jornalismo dos professores – parte 1”, professores do curso de Jornalismo Multimídia analisaram o seu trabalho jornalístico e a mídia. No período da manhã, os palestrantes foram Fabrício Marques e Márcio Sampaio de Castro. À tarde, Bia Abramo, Bruno Zeni, Flávio Moura, tratando de variantes de jornalismo cultural e Daniela Bertocchi, falando sobre o advento da internet, roubaram a cena.

Crítica de TV da Folha de S. Paulo há 7 anos, a sobrinha-neta de Claudio Abramo abordou o tema “A propaganda e o público infantil: reações à crítica jornalística”. A professora relatou em uma matéria o drama que observava em casa: o impacto que a publicidade tem sobre o público infantil. A repercussão foi imensa – “ao invés das 10, 15 cartas que costumava receber, 50 leitores se manifestaram!”, relata Bia Abramo. Para ela, essa foi a prova de que ela não é a única a classificar a publicidade como a “inteligência do mal”.

Na sequência, Bruno Zeni assumiu a palavra. Na palestra “André du Rap, uma entrevista que virou livro”, o professor relata como o massacre do Carandiru marcou sua juventude. O julgamento do coronel da PM envolvido na tragédia, Ubiratan Guimarães, reativou esse sentimento. Ávido por mais detalhes, e por fontes que não as policiais, Zeni foi até o Fórum, onde conheceu André, um dos sobreviventes. Das 6 horas de entrevistas, surgiu o livro, escrito “a quatro mãos”.

Ainda no meio literário, Flávio Moura foi o próximo. Abordando o tema “Do jornalismo cultural à produção cultural”, o diretor de programação da Feira Literária Internacional de Paraty (FLIP) relatou sua vivência profissional. Moura ressaltou: “me sinto bem por intervir na cultura, já que sou eu quem decido quais autores serão convidados para o evento – que já é o maior evento literário do país”.  

Às 14h30 foi a vez de Daniela Bertocchi. A jornalista expôs o “Jornalismo na era da internet: relatos de experiências em portais, blogs e redes sociais”. Sua apresentação começou com um conto, que tratava do dilema vivido pelo ciberjornalismo – “o que é melhor: dar a informação primeiro, ou informar melhor?”. Além de sua experiência profissional, Bertocchi tratou a respeito do papel dos jornalistas e dos veículos nas chamadas “mídias sociais”. 

Para arrematar a mesa redonda, presidida por Drummond, seguiu-se um debate. Os alunos aproveitaram a chance e fizeram perguntas sobre as dificuldades da profissão e os feitos dos professores. Às 15 horas encerraram-se as atividades do primeiro dia. A 4ª Semana de Jornalismo da Facamp se estendeu por mais dois dias, um voltado para “O mercado e o profissional de Comunicação Empresarial”, e o outro, para “O jornalismo dos professores – parte 2”.  

 

(matéria escrita em 21/05/2009, para a disciplina de Jornalismo Multimídia I)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: